Escola de Tempo Integral: a solução para a educação

0

O baixo índice de aproveitamento escolar, o grande número de alunos que abandonam a vida estudantil e os frequentes casos de violência envolvendo jovens e adolescentes na cidade de Itabuna. Esses foram os três principais motivos que levaram os empresários do Sul da Bahia em Ação a refletir sobre uma forma de colaborar com os governos para a melhoria da educação.

Focada na Educação Básica, que corresponde ao Ensino Infantil, Fundamental e Médio, a ideia é promover um processo baseado no princípio do protagonismo, da cultura do indivíduo que se constitui um empreendedor de si mesmo. Sem esquecer dos desafios de pensar a educação para o século 21, e da necessidade de mobilizar a comunidade escolar para pensar e buscar uma metodologia que resulte em resultados eficientes.

A ideia, como explica Marcia Alessandra Guimarães, professora e líder do projeto, é fazer com que o aluno descubra o prazer de estar no ambiente escolar e, principalmente, que ele se sinta estimulado a absorver e a compartilhar o conhecimento a partir de seu projeto de vida.

Escola de Tempo Integral

Na busca por um padrão que se adequasse à nova realidade dos jovens brasileiros, os empresários do sul da Bahia encontraram o modelo da Escola de Tempo Integral, desenvolvido com sucesso em estados como Pernambuco e Espírito Santo, em parceria com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE).

A proposta nos pareceu muito interessante porque ela traz a possibilidade de executar um currículo que ultrapassa o aprisionamento das ideias, e a capacidade de reflexionar. Esse modelo oportuniza que o estudante seja, efetivamente, o protagonista da sua trajetória acadêmica, fazendo uso de sua autonomia, sendo agente atuante e transformador da realidade pessoal”, explica a líder do projeto.

A educadora acrescenta que o objetivo é promover a qualidade dos processos de ensino e aprendizagem com inclusão e redução das desigualdades, a partir de uma gestão escolar inovadora e que atua diretamente em seus pilares: o professor, o currículo e a infraestrutura.

Esse novo modelo de educação se propoe a formar sujeitos competentes, capazes de protagonizar e de gerir suas escolhas, fazendo com que cada indivíduo seja capaz de refletir sobre as possibilidades de transformação para si e para o ambiente onde está inserido”, destaca Márcia.

Educação no Brasil

O sistema educacional brasileiro é dividido em Educação Básica e Ensino Superior. A Educação Básica, a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – 9.394/96), passou a ser estruturada por etapas e modalidades de ensino, englobando a Educação Infantil, o Ensino Fundamental obrigatório de nove anos e o Ensino Médio.

Até o ano de 2022, 98% das crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos devem estar matriculados e frequentando a escola, ou ter concluído o Ensino Médio.

Compartilhe

Deixe um Comentário